terça-feira, 11 de julho de 2017

Moção de Repúdio contra bloqueio do Fundeb para o Maranhão

A violência que o Governo Federal cometeu contra os municípios com o bloqueio de repasses do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), foi bastante protestada por alguns parlamentares da Assembleia Legislativa do Maranhão. O primeiro vice-presidente da Casa, deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), protocolou, na mesa diretora da AL, uma Moção de Repúdio contra o que classificou de ser um crime contra a educação e o povo brasileiro. Só no Maranhão cerca de R$ 220 milhões foram bloqueados para os municípios.

Othelino Neto vai submeter a Moção de Repúdio a Temer aos deputados para que apreciem e, se possível, aprovem-na em plenário. “Eu desejo que, em um curto espaço de tempo, o Brasil possa sair dessa encruzilhada, consiga se livrar desse presidente ilegítimo e que possamos trilhar um caminho para sair desse buraco e o Brasil voltar a se desenvolver, a ser respeitado aqui dentro do país e lá fora”, afirmou.

Compromisso

Segundo o deputado do PCdoB,  o presidente da República, Michel Temer (PMDB), descumpriu o compromisso e não causou, com isso, só problemas para os prefeitos, vai provocar aborrecimentos dos mais diversos para os professores que, possivelmente, em alguns casos, terão os seus vencimentos atrasados; aos alunos, que também serão impactados.

“Vai impactar também, nos municípios, no que diz respeito à movimentação de dinheiro, porque irá, claro, circular menos. Então, são muitos os problemas ocasionados por esse ato irresponsável do Governo Federal”, criticou.


Othelino disse que a Bancada Federal, liderada pelos deputados Rubens Júnior (PCdoB) e  Weverton Rocha (PDT), já está agindo, buscando o apoio do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, e do presidente da República para tentar fazer com que seja cumprido o compromisso e revertido essa situação gravíssima que foi imposta aos prefeitos maranhenses. 

Lei que obriga segurança 24 horas nos bancos, começa a ser cumprida

A lei que torna obrigatória a vigilância 24 horas nas agências bancárias do Maranhão, já está sendo cumprida em São Luís. Esta semana, o  Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor (Procon/MA) notificou todos os bancos do Maranhão para que disponham de segurança 24h. A nova medida foi sancionada pelo governador Flávio Dino no último dia 28 de junho.

A Lei Estadual n° 10.605/2017, de autoria do deputado estadual Zé Inácio Rodrigues (PT), prevê que as instituições bancárias, públicas ou privadas, em operação no Maranhão, ficam obrigadas a contratar vigilância armada para atuar 24h por dia, inclusive em finais de semana e feriados.

O descumprimento da lei acarretará multa diária no valor de R$ 5 mil, com aplicação em dobro caso haja reincidência. As agências dos Bancos do Brasil, da Amazônia, do Nordeste, Bradesco, Itaú, Santander e Caixa receberam a notificação, desde a última segunda-feira (03).


Os bancos terão o prazo máximo de 30 dias para se adequar e apresentar as respectivas comprovações. Após este prazo, todas as agências do Estado serão fiscalizadas a fim de garantir a segurança de funcionários e consumidores e a integridade física dos prédios.

Aranhas invadem condomínios da área nobre de SL


Os estudos ainda não foram concluídos, mas a principal causa da invasão dos insetos na área da Lagoa da Jansen, em São Luís, é um desequilíbrio ambiental. Isso todo mundo já sabe! Mas qual a origem deste desequilíbrio? As obras dos canais, que liga a Lagoa ao canal do bairro Ilhinha,que há meses está sendo feito, pode ser a origem deste desequilíbrio. Ela é assinada pelo governo do estado, que tem boas intenções em despoluir a Lagoa. Mas o problema é, que, enquanto isso, as teias de aranha seguem fazendo parte do cenário do nobre bairro, prejudicando os moradores, turistas e toda a população em geral, que frequenta, trabalha ou passa por ali.

Alguns inquilinos do Edifício Ari Oliveira, localizado em frete a Ponta D´Areia, pensam em deixar o apartamento  por conta da situação. Muitos estão temporariamente a trabalho em São Luís para fazer prestação de serviço a alguma empresa e acabam passando meses ou anos na capital e acabam alugando um apartamento, que de preferência, próximo a praia. “Chega a ser insuportável! Todo dia tenho que limpar a casa, além de deixar tudo fechado. Está ficando muito desagradável, fora o mal cheiro que elas deixam. Infelizmente estou pensando em procurar outro lugar”, revela um morador que não quis se identificar.

Este não é o único prejuízo que os insetos vem causando na área, limpar o ar condicionado duas vezes por semana, ou mais, assim como as garagens, os veículos, as varandas e corredores, ainda tem a despesa com redes de proteção, inseticidas e materiais de limpeza. Com tudo isso, conviver com tantos insetos (aranha, mosquito, agora o surgimento de sapos, etc), deixa os moradores a um nível de stress diário.
   
A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema) esta realizando um investigação do alastramento dos insetos naquela região. O que já se sabe é que o fenômeno é incomum, mas não é exclusivo da capital maranhense. Amazonas, São Paulo, Santa Catarina, e até outro países como Estados Unidos e Paquistão já noticiaram o alastramento de aranhas em determinadas áreas. A principal causa, nesses casos, foi a questão do desequilíbrio ambiental, que aumentou o número de insetos nas áreas: prato cheio para as aranhas, que se reproduzem rapidamente e aumentam a população.

Ainda de acordo com a secretaria, ainda não há previsão exata para que os estudos sejam finalizados, mas há uma equipe de biólogos empenhada em solucionar a questão. Assim que o diagnóstico for feito, as medidas necessárias devem ser adotadas. Esperar!!! Enquanto isso, fechem as janelas!!!



sexta-feira, 7 de julho de 2017

Inscrições para o Fies no segundo semestre começam dia 25 de julho

Os alunos que quiserem financiar a mensalidade em universidades privadas por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) deverão se inscrever entre os dias 25 e 28 de julho, pela página eletrônica do programa. No segundo semestre deste ano serão oferecidas 75 mil novas vagas. A portaria que normatiza o processo seletivo foi publicada no Diário Oficial da União de ontem.

Os estudantes poderão consultar as vagas a partir do dia 24 de julho, quando será publicado o edital do processo seletivo. O resultado dos candidatos pré-selecionados para o segundo semestre de 2017 e a abertura da lista de espera estão previstos para 31 de julho.

Apesar das mudanças anunciadas ontem pelo governo no Fies para 2018, neste semestre continuam valendo as regras atuais. Poderão participar da seleção os candidatos que tenham participado de alguma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) desde 2010 e obtido nota igual ou superior a 450 pontos, além de não ter zerado a redação. Também é necessário comprovar renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos.

As mantenedoras de instituições de educação superior interessadas em participar do processo seletivo do Fies referente ao segundo semestre de 2017 deverão assinar o termo de participação até o dia 14 de julho. No documento deverá constar a proposta de oferta de vagas.